Retalhos Imortais do SerAfim - Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim


12/07/2006


A mão dos simples

Canto I

Quantos sofrem
se perdem
e se matam
quando a vida
foge das rédeas
e a morte está à espreita?

Se não há esperanças
nas mãos restam as faltas
aonde se agarrar
em quem estará o sossego ?

Se o caminho é só o desespero
como chegar aos sonhos
a paga da lida
o simples ter ?

dalila balekjian

 

Escrito por lady gumes às 14h40
[ ] [ envie esta mensagem ]

magaly:

- meu nome real

 

para a liberdade e luta

me enterrem com os trotskistas
na cova comum dos idealistas
onde jazem aqueles
que o poder não corrompeu

me enterrem com meu coração
na beira do rio
onde o joelho ferido
tocou a pedra da paixão

Paulo Leminski

 

Escrito por lady gumes às 14h29
[ ] [ envie esta mensagem ]

Tua boca

Na tua boca
me perco
entre palavras e
beijos frescos.
Então uma brisa
do um mar rebelde
nos toca a pele
sedenta de vida
em pleno desejo.

Sônia Macedo

Escrito por lady gumes às 14h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

O Jardim dos Girassóis

Os girassóis significam muito mais do que
qualquer outra flor do plano espiritual,
porque fazem-nos lembrar de nossa família...
Além de que, os girassóis trazem em si
uma simbologia muito especial.
Como diz o nome, essas flores, de fato,
viram-se para seguir o curso diário do sol,
de leste a oeste.
Da mesma maneira, nós deveríamos sempre
canalizar nossas mentes e nossos
pensamentos em direção a Deus,
que é nossa fonte de luz maior,
o verdadeiro sol de nossas vidas.
Fazendo isso, do nascer ao poente de
cada uma de nossas existências,
estaremos sempre evoluindo...

 

Ligia Barbiéri Amaral
Texto retirado do livro:
O Jardim dos Girassóis

 

Escrito por lady gumes às 14h19
[ ] [ envie esta mensagem ]

meus dois tesouros: flora e sofia

Escrito por lady gumes às 11h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

Tu queres sono: despe-te dos ruídos, e
dos restos do dia, tira da tua boca
o punhal e o trânsito, sombras de
teus gritos, e roupas, choros, cordas e
também as faces que assomam sobre a
tua sonora forma de dar, e os outros corpos
que se deitam e se pisam, e as moscas
que sobrevoam o cadáver do teu pai, e a dor
[ (não ouças)
que se prepara para carpir tua vigília, e os
[ cantos que
esqueceram teus braços e tantos movimentos
que perdem teus silêncios, o os ventos altos
que não dormem, que te olham da janela
e em tua porta penetram como loucos
pois nada te abandona nem tu ao sono.

 

Ana Cristina César

Escrito por lady gumes às 08h23
[ ] [ envie esta mensagem ]

11/07/2006


 

Jura secreta 10

 

fosse o que eu quisesse

apenas um beijo

roubado em tua boca

dentro do poema

nada cabe

nem o que sei

nem o que não se sabe

e o que não soubesse

do que foi escrito

está cravado em nós

como cicatriz

do corte

entre uma palavra e outra

do que não dissesse

 

artur gomes

http://arturgomes.zip.net

http://ladygumes.blogspot.com

http://carnavalha.zip.net

 

Escrito por lady gumes às 10h29
[ ] [ envie esta mensagem ]

10/07/2006


dinda

Apesar de todos os medos, escolho a ousadia. Apesar dos ferros, construo a dura realidade. Prefiro a loucura à realidade, e um par de asas tortas aos limites da comprovação e da segurança. Eu sou assim, pelo menos assim quero me imaginar: a que explode o ponto e arqueia a linha, e traça o contorno que ela mesma há de romper..."

Lya Luft

 

Escrito por lady gumes às 15h31
[ ] [ envie esta mensagem ]

Esperança

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
vive uma louca chamada Esperança
e ela pensa que quando todas as sirenes,
todas as buzinas,
todos os reco-recos tocarem atira-se e...

ó delicioso vôo!

Ela será encontrada miraculosamente
incólume na calçada, outra vez criança...
e em torno dela indagará o povo:
Como é teu nome, meninazinha de olhos azuis?

E ela lhes dirá... É preciso dizer-lhes tudo de novo!
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam...
O meu nome é
E S P E R A N Ç A...

Mário Quintana

Escrito por lady gumes às 15h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

Ser como um rio que flui
Silencioso no meio da noite
Não temer as trevas da noite
Se há estrelas no céu, refleti-las.
E se o céu se enche de nuvens
Como o rio, as nuvens são água;
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades traqüilas....

 

Manuel Bandeira

 

Escrito por lady gumes às 15h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

Chove nos corações

Chove nos corações
Nos becos vielas
Da alma.
Lapidado em pedra fria brita e
Solo quente, serpente de aço
Um grito eco profundo vácuo
E os pés no fogo insano da cidade.
Chove nos corações
Lagrimas de lavar
Úteros cavernas em dor de sal
Rasgando a pele negra
Jorrando rios em prantos vermelhos
Na intensidade margem dias mormaço.
Chove nos corações
Mesmo lá ao longe se abre uma vela
e os ventos novos nos convidam
Para uma nova safra em construção

MARKO ANDRADE

 

Escrito por lady gumes às 15h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

Madrigal

Madrigal.
Noite acolhe em meu jardim.
Jardim da vida de estranhas rosas vermelhas.
Borboletas dançam.
Recolho-as na sorte,
Que a Lua traça.
Busco as águas do regato,
Pelas calçadas da rua.
Parida no ventre das ondas,
Percorro águas largas e azuis.
Na solidão impenetrável do mundo,
Em meus dedos enormes, pesados,
Escarros de fruta e flor.
Percorro a minha trilha,
Ancorando vez em quando,
Nalgum ninho, nos telhados,
No balanço arco-íris.
De algum coqueiro alto,
Onde meus sonhos pousou...
Nalgum sonho que passou...

 

Carla Diniz

Escrito por lady gumes às 15h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

 

análise sintática:

um tiro oculto na gramática 2

 

poeta diabo de 5 letras

uma metade homem

outra metade cometa

iluminado como sol

na garganta do futuro

espírito santo na boca

em cada palavra que procuro

 

black billy

http://balckbilly.blogspot.com

http://arturgomes.zip.net

http://ladygumes.blogspot.com

 

Escrito por lady gumes às 14h52
[ ] [ envie esta mensagem ]